RSS

Avatar



Em 1995, James Cameron teve a brilhante idéia de contar a história dos Ná’vi, seres azuis, fortes e ágeis que habitam um planeta chamado Pandora; a narrativa então teria início com a invasão dos humanos no território em que, em busca por pedras preciosas somente existentes naquele local, estariam dispostos a tudo em busca do sucesso na missão. História simples, contudo Cameron queria um diferencial, queria que os recursos visuais fossem explorados ao máximo, queria uma tecnologia cinematográfica até então inexistente. O diretor então engavetou o projeto e resolveu fazer Titanic, que se tornou o filme mais visto em todo o mundo e uma obra-prima como nunca haverá igual.

Depois de 12 anos sem lançar trabalho algum, em 2009, o ambicioso James Cameron lança Avatar, a história que permaneceu na gaveta por uma década e depois de quatro anos de produção chega aos cinemas de todo o mundo, alcançando já em sua terceira semana de exibição o posto de segunda maior bilheteria da história do cinema (é, a primeira também é de Cameron), e com Avatar, o diretor traz também a nova experiência visual às telas, o delírio provocado por imagens que desde 1995 procurava alcançar.

A história realmente deixa a desejar, James Cameron poderia ter tirado muito mais proveito de toda a narrativa, afinal, há determinados trechos em que se chega aparecer que a história foi simplesmente esboçada e o próprio esboço foi o material utilizado, um trabalho em que tudo deveria ser aperfeiçoado.

Porém, parece ao se ver na tela, que Cameron pouco se importava com isso, com o desenvolvimento de toda a narrativa de maneira geral, aliás, os diálogos são ridículos e as mensagens ecológicas que poucas vezes se tenta passar quase nem são percebidas. Alguém, por sinal, notou?

É claro que Avatar não é nem metade do que Titanic representou ou representa na história do cinema e se ambos comparados nota-se que a supremacia de Titanic é inigualável, porém ao se avaliar Avatar deve-se levar em consideração que James Cameron buscava um diferencial visual, ansiava por uma revolução tecnológica na sétima arte, e o resultado de tudo nos leva a ver que alcançou plenamente seus objetivos.

Ao assistir Avatar nota-se que é um filme feito com uma técnica e produção que nunca antes existiram em filme algum, é verdadeiramente um trabalho que proporciona aos olhos um completo delírio, é visual seguido por visual e cada um mais impressionante que o outro. Além disso, Cameron finalmente faz o que já se começava a acreditar que diretor algum faria: utilizar, enfim, a técnica 3D com maturidade, sem se ater àqueles objetos que ficam a todo o tempo sendo lançados no telespectador (“efeitos” ridículos que infelizmente insistiam em manter em filmes 3D).

É um trabalho ambicioso, feito com técnica e produção inatingível, mas que não emociona e que não apresenta valor humano algum, aliás, os humanos aqui são tidos como os verdadeiros monstros de toda a situação e os Na’vi (os “alienígenas”), os verdadeiros seres de coração (quanto clichê!).

Portanto, Avatar é sim um bom entretenimento e um marco no cinema, pois todo o seu visual representa aqui o início da utilização de tecnologias que com certeza hão de ser copiadas por outras produções, contudo não é um filme humano. Digno de prêmios? Sim, mas incontestavelmente não o de melhor filme, afinal, uma obra-prima não é feita só de técnicas visuais, mas também de uma ótima narrativa, e nesse quesito, Avatar passa longe.

4 comentários:

Rafael disse...

Pra que diabos serviam aquelas pedras de 20bi o kilo?

Rafael disse...

Os efeitos especiais estão perfeitos !

Ana Soares disse...

ADOREIIIII

Vai ser dificil sair algum filme tao bom assim de novo. falta de história?? É, vc deve achar q um desenho tem mais roteiro msm... mas ta certoo cada um tem sua opiniao e a gente tem q respeitar ne.

bjinhoss

Eslaine disse...

ahuehauehuae nossa a mina acabo com vc agora! rs
mas eu nao concordo com ela...
o filme é bonito de ver os efeitos, a historia nao tem graça nenhuma nem sei como todo mundo gosta! q coisinha mais chata! mas oq discordo de vc é que os efeitos 3D q pulam da tela pra cima das pessoas sao oq mais falta hj em dia, o melhor filme q ja assisti em 3D fooi residente evil que a cada minuto tinha algo vindo em sua direção e isso é o divertido do 3D, e cinema é diversão! por isso quero mais filmes em 3D com mais coisas voadoras em minha direção! heauheuaehe

Postar um comentário

 
Copyright 2009 Plantão Cinema. All rights reserved.